fbMipad: representação é importante MIT Sloan Review Brasil

Diversidade e inclusão

3 min de leitura

Mipad: representação é importante

Até 2024, estamos vivendo a década das Nações Unidas para os afrodescendentes. Uma de suas ações é a premiação Mipad, que reconhece afrodescendentes mais influentes – confira os dez nomes brasileiros

Colunista Nina Silva

Nina Silva

08 de Outubro

Compartilhar:
Artigo Mipad: representação é importante

A Assembleia Geral da ONU proclamou o período entre 2015 e 2024 como a “Década Internacional de Afrodescendentes” (resolução 68/237) citando a necessidade de reforçar a cooperação nacional, regional e internacional em relação ao pleno aproveitamento dos direitos econômicos, sociais, culturais, civis e políticos de pessoas de afrodescendentes, bem como sua participação plena e igualitária em todos os aspectos da sociedade. Tal como foi proclamada pela Assembleia Geral, o tema para a Década Internacional de Afrodescendentes é “reconhecimento, justiça e desenvolvimento”.

Em apoio à Década Internacional para Afrodescendentes foi criada a instituição Mipad, sigla em inglês para “afrodescendentes mais influentes”, que identifica grandes empreendedores de ascendência africana de presença pública e em setores privados de todo o mundo como uma rede progressiva de atores relevantes para se unirem no espírito de reconhecimento, justiça e desenvolvimento da África, seu povo no continente e em toda a sua diáspora.

Nos últimos anos, brasileiros se englobam nessa lista, uma vez que somos a maior diáspora fora de África e ainda o segundo país em população afrodescendente no mundo, cerca de 118,9 milhões de pessoas. Ja foram homenageados artistas, jogadores de futebol, filantropos, empreendedores e grandes líderes políticos, nomes como Kondzilla, Adriana Barbosa, Neymar, Taís Araújo, Lázaro Ramos, Rene Silva, Lisiane Lemos, Paulo Rogério e Nina Silva (eu, rsrs) , entre outros. Fui nomeada em 2018 e tive o prazer de ser convidada a ser country director da instituição no Brasil, função que amplifica vozes das nossas movimentações e auxilia na criação de novos negócios entre Brasil, outras diásporas africanas e países do continente africano. Este ano também tive o prazer de auxiliar nos nomes das pessoas homenageadas com o prêmio.

É com grande honra que divulgamos a lista global de Afrodescendentes Mais Influentes de 2020 (Mipad - Most Influential People of African Descent), para destacar a contribuição positiva feita por pessoas de ascendência africana nos setores público e privado em todo o mundo , após a Cerimônia de Reconhecimento e Premiação do Mipad 2020 realizada dia 04 de outubro último.

Em resposta ao atual movimento global de combate às desigualdades raciais e de gênero, intitulamos a edição de 2020 como "Global Reckoning", com o tema "Representação é importante". E, no espírito de reconhecimento, celebramos e mostramos personalidades excepcionais nas mais altas posições do mundo nas mesas de tomada de decisão nas quatro categorias de premiação: Política e governança, Negócios e empreendedorismo, Mídia e cultura, e Ativismo e hmanitarismo.

A lista foi oficialmente revelada na Cerimônia de Reconhecimento e Premiação do MIPAD, que ocorreu no dia da abertura da 74ª Assembleia Geral da ONU.

Conheçam os brasileiros premiados nesta edição:

Edição especial:

  • Paulo Paim, senador da República

Política & governança:

  • Erica Malunguinho, deputada estadual e educadora

Negócios & empreendedorismo:

  • Alan Soares, empresário cofundador do Movimento Black Money
  • Samantha Almeida, head da iniciativa Twitter Next, do Twitter Brazil

Mídia & cultura:

  • Iza, cantora e compositora
  • Leo Santana, cantor
  • Renan Souza, editor de internacional da CNN Brasil

Humanitarismo & ativismo:

  • Brenda Agi - cofundadora da ONG Compaixão Internacional
  • Betty Agi - cofundadora da ONG Compaixão Internacional
  • Ingrid Silva - bailarina e ativista

O Mipad, além de fazer parte da agenda global da ONU, possui chancela de diferentes governos e instituições para a promoção de cooperação estratégica para afrodescendentes de todo o mundo.

Compartilhar:

Autoria

Colunista Nina Silva

Nina Silva

É executiva de TI há mais de 17 anos, uma das 100 pessoas afrodescendentes com menos de 40 anos mais influentes do mundo e sócia-fundadora do Movimento Black Money.

Artigos relacionados

Imagem de capa A iniciativa de empreendedorismo que apoiou mulheres e reduziu desigualdades

Diversidade e inclusão

23 Novembro | 2021

A iniciativa de empreendedorismo que apoiou mulheres e reduziu desigualdades

Ao ajudar vítimas de acidentes com escalpelamento, projeto do Unops, MPT e Instituto Gloria transformou vida mulheres e famílias no Norte do Brasil por meio do empreendedorismo feminino

Claudia Valenzuela e Cristina Castro-Lucas

5 min de leitura