6 min de leitura

Rompendo o preconceito de gênero na liderança

O preconceito contra a contratação e a promoção de mulheres pode se manifestar de formas sutis. Até a ideologia política do gestor de recrutamento é um fator que influencia as decisões

Maryam Kouchaki, Burak Oc e Ekaterina Netchaeva
13 de junho de 2024
Rompendo o preconceito de gênero na liderança Imagem se não é conteúdo que normalmente tem um PDF
Este conteúdo pertence à editoria Sem categoria Ver mais conteúdos
Link copiado para a área de transferência!

O preconceito de gênero na hora de contratar e promover está mais enraizado e generalizado do que imaginávamos.

Apesar de termos visto progresso no ambiente de trabalho em prol da igualdade de gênero – algumas empresas, por exemplo, fazem avaliações de desempenho mais equilibradas segundo o gênero – a realidade é que as mulheres ainda são sub-representadas nas posições de liderança do setor privado.

Este conteúdo é exclusivo para pagantesJá tem acesso? Fazer loginAssinar
Maryam Kouchaki, Burak Oc e Ekaterina Netchaeva
Professora associada de administração e organizações na Kellogg School of Management da Northwestern University. Burak Oc é professor associado de comportamento organizacional na Melbourne Business School. Ekaterina Netchaeva é professora assistente de administração e tecnologia na Bocconi University.

Deixe um comentário

Você atualizou a sua lista de conteúdos favoritos. Ver conteúdos
aqui